• Paula Martins

Alimentação Consciente – você segue regras ou reconhece seu próprio corpo e vontades?

Atualizado: 6 de Ago de 2019

Atualmente, é difícil conhecer alguém que nunca sentiu culpa quando comeu algo considerado não saudável, ou que não desconta sentimentos e emoções na comida, que gostaria de comer melhor mas não entende porque não consegue.

Você já passou por isso, ou conhece pelo menos duas pessoas que passaram por uma dessas situações? Provavelmente sim!

O ato de comer se tornou uma válvula de escape para nossas questões emocionais e de vida acelerada.

Por isso, na prática, temos tantas dificuldades em modificar hábitos, padrões, e talvez até piore algumas angústias quando tentamos melhorar.


A comparação com o outro, a necessidade de seguir padrões físicos, e a falta de presença nos dias corridos, fazem com que cada vez mais a alimentação deixe de ser um prazer e entre no lugar de uma “obrigação social”.


Estamos na era da dieta, das restrições. Mas, nitidamente, isso não vem dando certo.

O distanciamento das próprias vontades, das próprias decisões e da autonomia faz com que o comer seja uma preocupação, um medo de estar fazendo errado.

Portanto, por estarmos falando diretamente de crenças, padrões, inseguranças e redução de presença e autoconfiança nas próprias escolhas, cuidar da alimentação se tornou praticamente cuidar de um todo, sendo essencial a melhora da consciência e do autoconhecimento.


Para isso, além da Nutrição e da Psicologia, já reconhecidas como importantes, as terapias integrativas e complementares podem ajudar no processo. Elas vão gerar um equilíbrio emocional e podem ser utilizadas para ajudar na quebra de crenças e na reconexão com o próprio corpo, gerando autocompaixão e respeito pelo contexto de vida.

Pois, na maioria das vezes, as pessoas estão se comparando com outras que possuem um contexto completamente diferente, uma genética, motivações e objetivos diferentes.

É preciso se conhecer, retomar o prazer em comer, e, principalmente, reconhecer os pensamentos e emoções envolvidos no processo.


Que tal associar a meditação, ou o ThetaHealing, o Barra de Access, Reiki, Cromoterapia, Constelação Familiar Sistêmica, Yoga e etc. Todas essas técnicas vão ser extremamente eficazes no processo de melhora de consciência, com ganho de autonomia, respeito pelo momento atual (autocompaixão) e entendimento de auto responsabilidade. Somente assim, mudanças de comportamento e melhora de hábitos vão ser consistentes e fazer sentido.


Se continuar seguindo regras, negando um autoconhecimento, essas mudanças vão ser por tempo limitado.

E, infelizmente, te afastar cada vez mais do próprio corpo e de uma alimentação saudável que seja, ao mesmo tempo, prazerosa.



#dieta #nutrição #emagrecimento #autoconhecimento


5 visualizações0 comentário